facebook do bosque da esperaça
31 99950-3800 / 31 3097-3435

Crematórios Pets: saúde pública e respeito ao meio ambiente

Cemitérios e crematórios de animais vão além da opção de despedida digna de um ente querido – passam pelas questões de saúde pública e de respeito ao meio ambiente

Um corpinho de animal falecido, quando entra em seu processo de decomposição, além de exalar mau cheiro, pode levar à proliferação de pragas e produz o necrochorume – um líquido com grande potencial de poluição, já que é rico em bactérias e microorganismos. Além da salmonela, destacamos duas substâncias tóxicas que estão presentes no necrochorume: a putrescina e a cadaverina. Elas contaminam o solo, o lençol freático, os poços artesianos… enfim, levam ao desequilíbrio da natureza afetando também a população.

Assim, o enterro de animais em quintais de casas, sítios, terrenos baldios… ultrapassa a questão de desrespeito ao meio ambiente já que também interfere na questão da saúde pública. Os enterros “domiciliares” são atitudes nocivas à saúde pois levam à disseminação de pragas (cobras, aranhas, ratos e baratas…), contaminações e proliferação de doenças (tétano, hepatite…) colocando em risco a saúde da população no entorno.

Para ratificar os riscos à saúde e ao meio ambiente, o § 2º do artigo 4º da a Lei 10.534/2012 de Belo Horizonte trata os corpinhos de animais falecidos como resíduos sólidos especiais – aqueles que “compreendem os resíduos que, por seu volume, peso, grau de periculosidade ou degradabilidade, ou por outras especificidades, requeiram procedimentos especiais para o seu manejo e destinação, considerando os impactos negativos e os riscos à saúde e ao meio ambiente”. Partindo-se do potencial poluidor dos enterros em locais não apropriados, vale lembrar que o artigo 54 da Lei Federal 9.605/1998 (que “Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente”), trata das penas para quem pratica crimes ambientais e de poluição.

Atualmente já existem serviços privados de cemitérios e crematórios para os pequenos animais (até 100 kg) nos grandes centros urbanos que possuem um papel importante no auxílio das questões ambiental e de saúde pública. Eles estão prontos para atender demandas imediatas e preventivas (para quem se programa com antecedência) para uma despedida digna, respeitando a saúde e o meio ambiente. São estabelecimentos que possuem os alvarás necessários para funcionamento e que, ao partirem do respeito ao meio ambiente e da necessária despedida digna de um ente familiar, deverão estar adaptados para atender as condições geológicas, hidrogeológicas e geotécnicas para tratar, de maneira correta e rigorosa, os resíduos dos corpinhos e os riscos ao meio ambiente (biológicos, químicos, radioativos e comuns).

Há famílias que não abrem mão do sepultamento e, para elas, estes estabelecimentos estão prontos para fazer tais procedimentos minimizando odores, não atraindo pragas e utilizando técnicas para que o necrochorume vá do estado líquido ao sólido sem chegar a tocar na terra ou ter contato com águas, lençóis freáticos… Já os serviços de cremação oferecidos por estes estabelecimentos, desde que rigorosamente implantados e com manutenção periódica, são vistos como “processos limpos” que resultam em cinzas – matéria orgânica mineral inofensiva ao meio ambiente e à saúde pública – que não oferecem qualquer risco de contaminação do solo e dos lençóis freáticos, além de servirem de adubo para plantas. As cremações podem ser individuais ou coletivas, com a opção de levar as cinzas em urnas próprias, ou depositá-las nos estabelecimentos ou mesmo utilizá-las como adubo para geração de novas plantas, mantendo, assim, o ciclo de vida da natureza. Além destes, vale pesquisar se os serviços prestados incluem também: traslado do corpo do animalzinho, saco de óbito, câmara fria, local para velório, caixões ou urnas, fornos crematórios que queimam os gases antes de serem exalados para o meio ambiente, material para acomodar o necrochorume…

Visite o Bosque das Águas Claras (em Macacos) e entre sempre em contato para tirar quaisquer dúvidas!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *